Artigos Definidos e Indefinidos

O tema desta semana é um dos raros tópicos em que não é muito comum cometer erros, pelo menos quando se trata de trocar um pelo outro (crase, ainda vamos tratar da senhora, viu?). Os artigos definidos e indefinidos são bem estabelecidos na nossa gavetinha de arquivos cerebral “língua portuguesa”. Como professora e corretora de redações, não me lembro de ter visto uma troca sem sentido de “uma” por “a” e vice-versa. MAS, não custa relembrarmos e, de quebra, conferirmos alguns detalhes e junções, não é?

Artigos definidos

Os artigos definidos são, como o próprio nome diz, aqueles usados com termos que já estão definidos, seja para quem está emitindo, seja para quem está recebendo a mensagem. Eles sempre concordam com o substantivo que estão definindo em gênero e número.

Exemplos:

O artigo foi enviado a todos os alunos. (quem proferiu a frase e quem recebeu a mensagem conhece tanto o artigo que está sendo mencionado quanto os alunos em questão)

A árvore tinha sido plantada ali há 50 anos.(já se sabe de que árvore se fala na conversa)

As roupas do menino estavam rasgadas. (sabe-se de que roupas a mensagem trata e pode até mesmo haver uma imagem mental delas na cabeça do interlocutor)

Curiosidade

Os artigos definidos têm o “poder” de transformar verbos, adjetivos, etc em substantivos ao serem colocados na frente deles:

O saber daquele professor era compartilhado diariamente com os alunos.

O verde das folhas na primavera estava maravilhoso!

Artigos indefinidos

Os artigos indefinidos tratam de um item sem imagem definida, um exemplo/exemplar qualquer da categoria mencionada na mensagem. Eles também concordam com o item a que se referem em gênero e número.

Exemplos:

Um aluno da escola recebeu uma medalha na Olimpíada de Matemática. (há vários alunos e várias medalhas, mas a mensagem quer focar no fato de que um aluno dali recebeu uma dessas medalhas ao invés de citar especificamente quem foi)

uns dias não sai de casa. (não há intenção na mensagem de explicitar o número exato de dias, a indefinição inexata já é suficiente para a compreensão. Talvez nem se tenha conhecimento do número exato.)

Pode me emprestar umas roupas? (não há imagem definida de quais roupas se quer emprestadas, provavelmente uma decisão a ser tomada apenas quando o emissor da mensagem vir as roupas disponíveis)

Curiosidade

Os artigos indefinidos também são capazes de transformar adjetivos, verbos, etc em substantivos ao serem colocados na frente deles:

As falas do orador continham um saber imensurável.

O vestido era de um vermelho intenso.

Os artigos definidos e indefinidos também podem se juntar com preposições e formar novos itens, incluindo a nossa querida e temida crase. Sendo assim, vamos tratar dessas combinações e contrações na próxima coluna, então fiquem atentos! Até a próxima!

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Por quê, Porquê, Porque e Por que: aprenda a diferença entre cada um para não errar no Enem!

A língua portuguesa é de fato muito rica e por isso traz um grande número de possibilidades para algumas palavras e isso, às vezes, pode causar dúvidas aos falantes de seu idioma. Uma dessas dúvidas mais comuns está ligada ao uso dos “porquês”. Na fala não há motivo nenhum para preocupação, mas na hora da escrita em norma padrão quase sempre é feita uma consulta para saber a diferença entre um e outro e não fazer feio no texto.
https://infoenem.com.br/por-que-porque-porque-e-por-que-aprenda-a-diferenca-entre-cada-um-para-nao-errar-no-enem/

O que é SiSU?

É o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior (federais e estaduais) oferecem vagas a candidatos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
https://infoenem.com.br/como-funciona-o-sisu/

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Vanessa Christine Ramos Reck
Vanessa Christine Ramos Reck

Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Estadual de Campinas(2011). Tem experiência na área de Letras. http://lattes.cnpq.br/6444202678156917