Conceitos Básicos Para a Compreensão da Genética

Genética é o ramo da biologia que se dedica ao estudo da hereditariedade e de tudo o que se relaciona com ela. E esse assunto é cobrado em provas e vestibulares, como o Enem.

A hereditariedade é uma das características que diferencia a matéria viva (no sentido de organismo, de ser vivo) da matéria não viva. Essa propriedade dos seres vivos nada mais é do que a capacidade de transferir “instruções” aos descendentes, influenciando em sua formação, desenvolvimento e manutenção. Essas instruções ficam localizadas na molécula de DNA e são denominadas genes.

Entretanto existe um problema relacionado ao tamanho do DNA: essa molécula geralmente é muito grande, o que dificulta seu armazenamento no interior da célula. A saída para essa questão foi “dobrá-lo, deixando-o mais compacto, e “dividi-lo” em pedaços, denominados CROMOSSOMOS.

Em cada cromossomo podemos encontrar vários GENES que, como foi dito anteriormente, correspondem às instruções recebidas dos pais. A partir de um gene é produzida uma molécula de RNA que, por sua vez, geralmente comanda a fabricação de uma proteína – ou parte dela – e essa proteína, por sua vez, determinará uma característica ao indivíduo.

Fonte:https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Citologia2/nucleo5.php

Fonte: http://aprendendoeducacao2013.blogspot.com/2013/07/genes-e-dna.html
Observação: Nem todo gene codifica uma proteína ou parte dela. Alguns genes apresentam o RNA como produto final ao invés de proteínas. Ex: RNAs transportadores e de interferência.

Falando agora mais especificamente da nossa espécie, o DNA humano é formado por 46 cromossomos, compostos por duas coleções muito parecidas: uma que veio do pai, outra da mãe.

Como temos duas coleções praticamente “idênticas” de cromossomos, nossas células apresentarão dois exemplares de quase todos os tipos de cromossomos. Estes cromossomos “idênticos” terão o mesmo tamanho, o mesmo aspecto e possuirão genes que tratam “dos mesmos assuntos”. Estes cromossomos idênticos são denominados “CROMOSSOMOS HOMÓLOGOS”.

Podemos dizer então que o DNA humano é composto por 46 cromossomos, que podem ser organizados em 23 pares de cromossomos. Seguindo nessa linha, é possível afirmar ainda que dos 23 pares de cromossomos da espécie humana, todos os 23 pares das mulheres são de cromossomos homólogos. No caso do homem temos apenas 22 pares de cromossomos homólogos: o último par – par sexual – é a exceção, sendo formado por cromossomos “diferentes”: o cromossomo X e o cromossomo Y – nas mulheres, o par sexual é formado por dois cromossomos X, portanto homólogos.

Ora, você há de concordar comigo que os pares de cromossomos homólogos apresentam pares de genes para um mesmo assunto. Esses genes, que além de tratarem de uma mesma característica, ocupam a mesma posição (lócus gênico) nos cromossomos homólogos, são denominados GENES ALELOS, ou simplesmente ALELOS.

Fonte: https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/biologia/o-que-e-alelo.htm

Estes genes alelos tratam do mesmo assunto, de uma mesma característica, mas isso não significa que eles sempre “concordam”: um alelo pode estar determinando a pigmentação da pele, enquanto que o outro alelo pode estar determinando a ausência desta pigmentação.

Importante dizer que os genes alelos podem apresentar uma relação de dominância entre si, de maneira que pode-se afirmar que existem dois tipos básicos de alelos:

a) ALELO DOMINANTE = Representado por letra maiúscula, geralmente manifesta sua característica.
b) ALELO RECESSIVO = Representado por letra minúscula, este gene fica “inibido”, “mascarado” na presença do gene dominante.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alelo#/media/Ficheiro:Homozigotos_e_Heterozigotos.png

A partir dessa ideia surgem dois conceitos muito importantes na genética: genótipo e fenótipo.

O genótipo corresponde à constituição genética do indivíduo. Geralmente composto por um par de alelos, o genótipo acaba por determinar uma característica ao indivíduo, que chamamos de fenótipo.

Acompanhem esse exemplo: considere que para a característica pigmentação da pele existem dois alelos: o alelo dominante A, que “comanda” a síntese de melanina – pigmento da pele –  e o alelo recessivo a, que não comanda a síntese do pigmento. Não é difícil perceber que existem três genótipos possíveis nesse caso. Veja o quadro abaixo:

Pelo exposto acima, podemos entender como fenótipo a expressão, o resultado, a manifestação de um genótipo. Esse termo vai estar se referindo às características externas, morfológicas, fisiológicas e comportamentais de um indivíduo. Alguns desses fenótipos são visíveis, como altura e formato dos olhos de um ser humano. Outras características, entretanto, não são passíveis de visualização – ex: tipo sanguíneo.

Importante: muitas vezes o fenótipo não é determinado apenas pelo genótipo, mas sim pela interação deste com o ambiente.

1) (UFMG) Observe a figura.
Fonte: SILVA JÚNIOR, César da, SASSON, Sezar. Biologia.
São Paulo: Saraiva, 1995. v. 3, p. 179.

Considerando-se a manutenção de características ou a ocorrência de diferenças fenotípicas dentro de uma espécie, é INCORRETO afirmar que

A) a ação do ambiente promove alterações freqüentes nos genótipos, permitindo, por isso, a diversificação dos indivíduos.

B) a diversificação de fenótipos se deve à função evolutiva do DNA, à mutação e à reprodução sexuada.

C) a duplicação do material genético permite a transmissão de informações genéticas para as gerações seguintes.

D) o número de cromossomos se mantém constante em diferentes gerações. 

2) (ENEM 2009) –   Em um experimento, preparou-se um conjunto de plantas por técnica de clonagem a partir de uma planta original que apresentava folhas verdes. Esse conjunto foi dividido em dois grupos, que foram tratados de maneira idêntica, com exceção das condições de iluminação, sendo um grupo exposto a ciclos de iluminação solar natural e outro mantido no escuro. Após alguns dias, observou-se que o grupo exposto à luz apresentava folhas verdes como a planta original e o grupo cultivado no escuro apresentava folhas amareladas.  Ao final do experimento, os dois grupos de plantas apresentaram

A) os genótipos e os fenótipos idênticos.

B) os genótipos idênticos e os fenótipos diferentes.

C) diferenças nos genótipos e fenótipos.

D) o mesmo fenótipo e apenas dois genótipos diferentes.

E) o mesmo fenótipo e grande variedade de genótipos.

Respostas: Questão 1: Alternativa A; Questão 2: Alternativa B

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Tags: |

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

InfoEnem
InfoEnem

Portal InfoEnem - O portal mais completo do Enem.