Concordância Nominal – Algumas Palavras Exigem Cuidado Redobrado

– Você quer ajuda, amiga?
– Não, obrigado. Você tem bastante coisas para fazer, eu tenho menas.

Que tal lhes parece o diálogo acima? Muito gentil, cheio de empatia, porém… com alguns desvios em relação à norma culta.

Temos, no trecho, três casos de concordância nominal que merecem atenção: as palavras ‘obrigado’, ‘bastante’ e ‘menos’.

O termo obrigado(a) é o particípio do verbo obrigar. Lembremos que o particípio é uma das formas nominais do verbo, assim denominadas porque funcionam às vezes como verbo (A mãe tinha obrigado o filho a tomar o xarope), às vezes como nome, neste caso um adjetivo. Esse termo faz parte da expressão “estou obrigado(a)”, ou seja, “eu devo obrigação de retribuir a gentileza, o favor que recebi”, e como adjetivo, precisa concordar em gênero e número com o termo a que se refere. Dessa forma, portanto, uma mulher dirá obrigada, um homem dirá obrigado e um grupo dirá ‘obrigados‘ se forem apenas homens ou um grupo misto e ‘obrigadas‘, se forem apenas mulheres (por mais estranho que possa parecer, o termo tem plural sim!).

Já a palavra bastante pode funcionar como pronome indefinido (e será variável quanto ao número – singular/plural) ou como advérbio de intensidade (invariável) e se comportará como o sinônimo muito. Assim, na dúvida, verifiquemos como o ‘muito’ se comporta:

  • Tenho bastante ou bastantes livros?
  • = Tenho muitos livros.

Nesse caso o termo funciona como pronome indefinido (expressa a quantidade de modo vago, impreciso) e deverá concordar com o substantivo a que se refere (livros), portanto vai para o plural: “Tenho bastantes livros.”

  • Estamos bastante ou bastantes cansados?
  • = Estamos muito cansados.

Agora o termo funciona como advérbio, intensificando a ideia do adjetivo cansados. Teremos, portanto, “Estamos bastante cansados.”

E por último, falemos do termo menos. Esse termo pode ser empregado como advérbio (Ele ganha menos do que a esposa); como pronome (Gosto de mais pimenta e menos sal na comida); ou substantivo (Às vezes o menos é mais) e em todos os casos é uma palavra invariável. Ocorre com certa frequência o fenômeno da hipercorreção (quando alguém ‘corrige’ o que já estava certo), pois a palavra aparenta ser do gênero masculino, mas não há informação de gênero nesse termo, ele será sempre usado na forma menos:

  • menos meninas do que meninos naquela turma.
  • Eu tenho menos fé na Justiça do que meu irmão.
  • Ele aparenta menos idade do que o amigo.

Espero que agora haja menos dúvidas, caros leitores.

Até a próxima semana!

 


Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP). Com mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso Curso de Redação Online (CLIQUE AQUI para saber mais) e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoEnem, a professora é colunista de gramática do nosso portal. Seus textos são publicados todos os domingos. Não perca!

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Margarida Moraes
Margarida Moraes

Margarida Moraes é formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), onde também concluiu seu mestrado. Mais de 20 anos de experiência, corretora do nosso sistema de correção de redação e responsável pela resolução das apostila de Linguagens e Códigos do infoenem, a professora é colunista de gramática do nosso portal.