Conheça os Fenômenos El Niño e La Niña

Na publicação a seguir vamos analisar dois fenômenos climáticos muito importantes para o nosso dia a dia. Estes fenômenos são o El Niño e o La Niña. Vamos explicar sobre cada um deles, esclarecendo as suas diferenças, além de mostrar como estes fenômenos influenciam no clima de nosso país.

Mas o que são o El Niño e La Niña? Estes dois fenômenos são definidos como padrões climáticos naturais, que são resultados de uma interação entre o oceano e a atmosfera em que estamos inseridos. Essa interação é causada por anomalias relacionadas a temperatura dos oceanos e também da circulação atmosférica, que causa extremos climáticos ao redor de todo o mundo. Além disso, outra característica comum aos fenômenos é a de que ambos ocorrem nas águas do Oceano Pacífico. A forma com que cada um ocorre vamos observar a seguir.

El Niño

O El Niño é o fenômeno climático que resulta de um aquecimento anormal das águas do Pacífico Equatorial, próximo a costa do Peru, que é caracterizado pelas águas frias. O resultado disso é a geração de massas de ar quentes e úmidas, que ocasionam uma grande quantidade de chuvas na região de formação, em detrimento de outras regiões, como ocorre no Brasil.

Sob influência do El Niño, as regiões da Amazônia e Nordeste apresentam uma diminuição da quantidade de chuvas, enquanto na região Sul e partes de Sudeste e Centro-Oeste a quantidade de chuvas aumenta consideravelmente, resultando em transtornos para a população local.

Cabe ressaltar que todo o aquecimento do El Niño acontece devido ao enfraquecimento dos ventos de origem equatorial (os chamados ventos alísios!), o que acarreta toda essa mudança climática que altera padrões de temperatura e precipitação ao longo de todo o globo terrestre. Veja a seguir uma esquematização das regiões afetadas pelo El Niño, ao longo do verão e do inverno:

Como mencionamos, é possível observar que o El Niño afeta as mais diversas regiões do planeta, principalmente as regiões banhadas pelo Oceano Pacífico, onde as correntes formadas possuem maior força.

La Niña

Já o La Niña decorre de um aumento da intensidade dos ventos da mesma região do Pacífico Equatorial. Desta forma, você já deve ter imaginado que as águas desta região se tornarão mais frias que o normal e, consequentemente, altera o fluxo das massas de ar regidas pelos ventos alísios. O La Niña faz com que as regiões da Indonésia e Austrália tenham uma grande quantidade de chuvas.

No Brasil, o La Niña afeta quase todo o nosso território. Na região Norte, este fenômeno causa o aumento no índice pluviométrico da estação chuvosa, acarretando aumentos anormais no volume dos rios e consequentemente transbordamentos. No Nordeste, o La Niña leva chuvas acima da média, o que muitas vezes resulta em alagamentos, já que esta é uma região de baixa pluviosidade. Outra região afetada é o Sudeste, e nesta região o La Niña ocasiona uma grande estiagem, principalmente durante o inverno.

Veja a seguir um esquema indicando os efeitos do La Niña ao longo do planeta, nos meses de verão e inverno:

Portanto, apresentamos estes dois fenômenos climáticos muito importantes para a nossa realidade. Além disso, explicamos como o El Niño e o La Niña ocorrem, evidenciando as suas diferenças e demonstrando como estes eventos climáticos afetam a condições climáticas no Brasil.

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Andrietta
Matheus Andrietta

Fundador do Portal InfoEnem.