Evolução Convergente e Divergente

Sabemos hoje, que a vida surgiu há aproximadamente 3,5 bilhões de anos atrás, muito menos diversa e especializada. Mas como explicar que toda a diversidade do mundo provém de células simples, que continham apenas membrana, material genético e algumas proteínas?

Através da evolução, podemos elucidar alguns desses processos, não como uma verdade absoluta à prova de erros, mas como hipóteses bem estruturadas baseadas em evidências científicas construídas ao longo da história. O conceito de evolução biológica pode ser resumido em “descendência com modificação”, ou seja, as modificações causadas aleatoriamente no material genético dos seres vivos que são transmitidas para os seus descendentes. A ideia central da evolução é que toda vida na terra provém de um ancestral comum, dessa forma, desde plantas à humanos, todos estão correlacionados.

Embora todos os seres tenham um grau de parentesco evolutivo entre si, não podem ser classificados em um mesmo grupo, pois mesmo que existam inúmeras características compartilhadas entre os organismos, há também uma enorme gama de características diferentes, conhecidas também como características derivadas que dão origem a uma nova linhagem. Podemos dizer, por exemplo, que os quatro membros são uma característica compartilhada por todos os tetrápodes e os pelos e glândulas sebáceas são características derivadas que dão origem a linhagem dos mamíferos.

Como você já deve ter percebido, para classificar um grupo e construir hipóteses evolutivas, é necessário estabelecer indicadores confiáveis de ancestralidade comum, esses indicadores são as características compartilhadas e derivadas em cada grupo que podem aproximá-los ou distanciá-los em uma árvore filogenética. Para isso, são utilizadas as características homólogas ou características similares derivadas de um mesmo ancestral comum, como os quatro membros dos tetrápodes, citado anteriormente. Ou seja, anfíbios, répteis, aves e mamíferos possuem essa característica, já os peixes ósseos e cartilaginosos não, por isso estão em grupos separados (Fig.1).

Fig. 1. Surgimento dos quatro membros. Fonte: https://evosite.ib.usp.br/evo101/IIDClassification.shtml

Como a natureza é vasta e muito diversificada, nem todas as características similares são homólogas. Um exemplo disso são as asas de pássaros e morcegos (Fig. 2), também a visão em humanos e cefalópodes. Embora sejam características similares possuem origens evolutivas diferentes. A asa do morcego se constituí de retalhos de pele estendida entre os dedos, já as asas do pássaro se constituem de penas estendidas por todo o braço, o que nos leva a concluir que as asas em morcegos e pássaros não foram herdadas de um ancestral comum, mas surgiram duas vezes na árvore filogenética como características isoladas (Fig.3). Chamamos esse tipo de característica de análoga.

Fig. 2. Comparação asas de morcego e pássaro. Fonte: https://evosite.ib.usp.br/evo101/IIDClassification.shtml

Fig. 3. Surgimento das asas nos morcegos e pássaros. Fonte: https://evosite.ib.usp.br/evo101/IIDClassification.shtml

Por fim, para que uma característica seja considerada homóloga, faz-se necessário a estrutura básica igual, mesma relação com outras estruturas e mesma origem embriológica. Os tetrápodes têm uma estrutura óssea igual, possuem a mesma relação, por exemplo, os membros inferiores estão sempre conectados ao fêmur e cintura pélvica e provém dos mesmos tecidos embrionários. Portanto, as características homólogas são consideradas divergentes, porque embora duas linhagens se diversifiquem e sigam caminhos evolutivos diferentes, possuem um mesmo ancestral comum de quem herdam a característica homóloga. As características análogas, originam a evolução convergente, que embora semelhantes, surgiram independente em cada linhagem, não sendo evidências de ancestralidade comum.

Agora que aprendemos um pouco mais sobre os tipos de evolução, vamos resolver uma questão do ENEM!

(ENEM 2020) Acredita-se que os olhos evoluíram de órgãos sensores de luz para versões que formam imagens. O olho humano atua como uma câmera, coletando, focando e convertendo a luz em sinal elétrico, que é traduzido em imagens pelo cérebro. Mas em vez de um filme fotográfico, é uma retina que detecta e processa os sinais, utilizando células especializadas. Moluscos cefalópodes (como as lulas) possuem olhos semelhantes aos dos humanos, apesar da distância filogenética.

LAMB, T. D. A fascinante evolução do olho: cientistas já têm uma visão clara de como surgiram nossos olhos tão complexos. Scientific American Brasil, ed. 111, ago. 2011 (adaptado).

A comparação dos olhos mencionada representa que tipo de evolução?

A) Aleatória

B) Homóloga

C) Divergente

D) Progressiva

E) Convergente

Resposta correta: E.

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2021!

Por quê, Porquê, Porque e Por que: aprenda a diferença entre cada um para não errar no Enem!

A língua portuguesa é de fato muito rica e por isso traz um grande número de possibilidades para algumas palavras e isso, às vezes, pode causar dúvidas aos falantes de seu idioma. Uma dessas dúvidas mais comuns está ligada ao uso dos “porquês”. Na fala não há motivo nenhum para preocupação, mas na hora da escrita em norma padrão quase sempre é feita uma consulta para saber a diferença entre um e outro e não fazer feio no texto.
https://infoenem.com.br/por-que-porque-porque-e-por-que-aprenda-a-diferenca-entre-cada-um-para-nao-errar-no-enem/

O que é SiSU?

É o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior (federais e estaduais) oferecem vagas a candidatos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
https://infoenem.com.br/como-funciona-o-sisu/

Sobre o Autor

InfoEnem
InfoEnem

Portal InfoEnem - O portal mais completo do Enem. 10 anos abordando os principais assuntos do maior vestibular do país. - Artigos; - Notícias; - Apostilas; - Cursos On-line.