Guia de Profissões 2013: Engenharia Agrícola

Podemos dizer que a engenharia agrícola utiliza e desenvolve técnicas que visam o gerenciamento de processos agropecuários. Dessa forma, o engenheiro agrícola projeta, implanta e administra técnicas e equipamentos ligados direta ou indiretamente à produção agrícola, pois pode atuar em todas as etapas do agronegócio. Em outras palavras, esse profissional leva ao campo soluções inovadoras e eficazes ligadas a engenharia e que podem melhorar (e aumentar) a produção, sem se descuidar do desenvolvimento sustentado da agricultura.

Quanto às oportunidades, além da grande demanda nos setores agropecuário e agroindustrial, esse engenheiro também pode trabalhar em pesquisa, geração e desenvolvimento de sistemas de produção e seus componentes tecnológicos.

 

Média Salarial inicial
Segundo o CREA-SP, o salário médio inicial é de  R$ 3.732,00 por 6 horas diárias.

 

Onde estão os melhores cursos?
De acordo com o Guia dos Estudantes 2012, estes são os 7 melhores cursos de Engenharia Agrícola do Brasil.

* lista em organizada por estado e ordem alfabética

Entrevista
Para conhecer mais sobre as possibilidades desse profissional, convidamos para um bate papo Tales Luperni de Souza Dias, graduando do último ano de Engenharia Agrícola na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e que já atua com gerenciamento de projetos ambientais.

 

1- Porque escolheu o curso de Engenharia Agrícola?

Foi uma escolha que surgiu naturalmente ao longo do ensino médio e posteriormente no cursinho, crescendo a vontade de aprender mais sobre a parte agrícola, já que passei toda minha vida morando na roça, no Vale do Paraíba.

 

2 – O que achou do curso? Cite as principais dificuldades encontradas ao longo do mesmo.

O curso de engenharia Agrícola da UNICAMP é uma ótima escolha para quem pretende colocar seus limites a prova. Assim como todo curso de engenharia na UNICAMP, possui muitas dificuldades, como salas cheias, professores estrangeiros, muitas aulas, trabalhos, relatórios, experimentos e provas, além dos horários das aulas serem distribuídos ao longo de todo o dia, incluindo a noite, o que dificulta bastante fazer estágios.

 

3 – Como é exercer sua profissão? Conte-nos um pouco sobre sua rotina.

No caso da engenharia agrícola, sua área de abrangência é grande, passando desde a parte de mecânica de máquinas agrícolas, pós-colheita, geoprocessamento, estruturas de concreto e madeira, hidroelétricas, Irrigação entre outras.

Trabalho com projetos voltado para licenciamentos ambientais, como outorgas de uso de água, micro e pequenas barragens, georrefenciamento de propriedades rurais, e EIA/RIMA’s (estudo de impactos ambientais e relatório de impactos ambientais).

A rotina de trabalho é um pouco diferenciada das grandes empresas, não temos compromissos em estar sempre no escritório, porem o trabalho normalmente é estendido até de noite e estamos sempre viajando para o campo levantando dados dos projetos.

A remuneração também pode ser muito boa, porem está sempre atrelado aos projetos, condicionando os pagamentos nas entregas dos relatórios parciais.

 

4- No atual cenário econômico brasileiro, qual a sua opinião em relação ao mercado de trabalho e as oportunidades para os profissionais de Engenharia Agrícola?

O Brasil é um dos maiores produtores agrícola do mundo, e ainda existe uma disparidade em relação ao desenvolvimento na produção agrícola com relação ao países mais desenvolvidos, como Estados Unidos e Austrália, mostrando um potencial enorme para o desenvolvimento de novas tecnologias e manejos mais produtivos e sustentáveis, potencial esse que o engenheiro agrícola está preparado e treinado para desenvolver.

 

5 – Quais as principais características que você acredita serem necessárias para quem escolher ser engenheiro agrícola?

– Deve ser esforçado e determinado, pois é um curso de engenharia e que irá exigir muito de você em termos de estudo, provas, trabalhos e dedicação

– Deve ter disposição para aprender sobre diversas áreas de conhecimento sem ter preconceito com nenhuma delas (engenharia civil, elétrica, mecânica, e também química, biologia, geografia…)

– Deve estar preparado para enfrentar trabalhos de campo

– Deve estar preparado para estudar sobre temas novos que não possuem muita base literária para consulta

 

6- Gostaríamos que desse dicas, conselhos ou qualquer outro tipo de informação que ajude nossos leitores a decidir seguir (ou não) a sua profissão. Fique à vontade!

Como qualquer profissão, a Engenharia Agrícola possui muitas dificuldades, mas possui um detalhe que é único: trabalhar para a produção de alimento e o cuidado com a “terra” que é um bem não renovável e limitado, e que possibilita a existência da vida em nosso planeta.

Para quem tem a pretensão de exercer a profissão de Engenheiro Agrícola, é importante ter em mente a certeza de que enfrentará grandes paradigmas com a produção de alimento. Produzir cada vez mais em um espaço cada vez menor, para alimentar toda a população mundial que só tende ao crescimento.

 

Ainda em dúvida? Segue alguns espaços nos quais você pode ter informações mais detalhadas sobre essa bela carreira.

 

Caso Engenharia Agrícola não seja a carreira que você pretende seguir, não se preocupe, semana que vem tem mais “Guia de Profissão 2013″ aqui no Portal infoEnem! Fique ligado!


*Nossos agradecimentos ao estudante Tales Luperni de Souza Dias, pela excelente entrevista concedida ao Portal infoEnem.

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

InfoEnem
InfoEnem

Portal InfoEnem - O portal mais completo do Enem. 10 anos abordando os principais assuntos do maior vestibular do país. - Artigos; - Notícias; - Apostilas; - Cursos On-line.