Guia de Profissão 2013: Ciências Biológicas

Biologia é a ciência que estuda os seres vivos (do grego bios = vida e logos = estudo). Ou seja, estuda a estrutura, a origem e a evolução dos seres vivos, estabelecendo relações entre eles e classificando-os.

Dessa forma, um biólogo pode atuar no desenvolvimento de projetos voltados para a preservação da natureza (tanto de plantas como de animais), assessorar a implantação de projetos de proteção ambiental em empresas de diversos ramos. Também pode atuar na pesquisa científica de instituições públicas e privadas. Outra possibilidade é a área do magistério (tanto ensino fundamental quanto médio). Zoológicos e parques ecológicos também representam opções para os bacharéis em ciências biológicas.

 

Média Salarial inicial
De acordo com Conselho Federal de Biologia, o salário médio inicial é de R$ 3.732,00.

 

Onde estão os melhores cursos?
Segundo o Guia dos Estudantes 2011, estes são os melhores cursos de Biologia do país.

Entrevista
Para conhecer mais sobre as possibilidades de um bacharel em ciências biológicas, convidamos a bióloga Annelize Aragão, formada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mestra em genética com ênfase em microbiologia, doutoranda em Bioquímica e que, atualmente, é concursada do instituto de Química da Unicamp, onde trabalha no departamento de química orgânica, mais especificamente no laboratório de bioquímica de proteínas.

1- Porque escolheu o curso de Biologia?
Olha essa é uma pergunta interessante. Na época eu acho que tinha uma ideia bem mais clara sobre os meus motivos, mas com certeza essa escolha teve a ver com a minha afinidade pelas matérias de Ciência e Biologia e a minha vontade de estar longe de matérias de exatas, como Física e Matemática. Nas brincadeiras da infância eu sempre sonhei em ser cientista, algo como o Beakman, do seriado Mundo de Beakman que passava na TV Cultura. Fora o sonho de criança, teve o lado prático e racional porque eu queria fazer um curso noturno, já que trabalhava durante o dia, e gostava muito da ideia de poder dar aulas, e o curso noturno habilitava para a licenciatura.

2 – O que achou do curso? Cite as principais dificuldades encontradas ao longo do mesmo.
O curso tem basicamente duas frentes: a Biologia Molecular e a Biologia Ambiental. A parte molecular abrange muitas subáreas: Biologia Celular, Genética, Bioquímica, Imunologia, Fisiologia; a parte Ambiental é relacionada com as subáreas de Ecologia, Zoologia, Botânica; e a interface entre a Biologia Molecular e Ambiental envolve subáreas como a Parasitologia, Microbiologia, entre outras. Cada subárea poderia ser extensamente estudada, como um curso a parte, mas não é. A formação do biólogo contempla os conhecimentos básicos de cada uma delas e ainda um pouco de outras áreas como Geologia, Paleontologia, Anatomia, Física, Matemática e Química. É um curso muito intenso, com muitos processos a serem entendidos e compreendidos na teoria, muitas aulas práticas, que exigem do aluno envolvimento e boa capacidade de observação e comparação. Como é uma ciência em construção, desde a graduação o aluno é colocado frente à artigos científicos, muitas vezes publicados em revistas internacionais, o que faz o domínio básico do inglês ser essencial. As minhas maiores dificuldades foram nas matérias voltadas para a parte molecular, mas também era nessas áreas o meu maior interesse.

3- Em geral, muitos estudantes, principalmente na hora do vestibular, pensam em seguir a carreira acadêmica. Entretanto, como sabemos, poucos acabam, de fato, concretizando esse sonho. Na sua opinião, por que isso ocorre?
Discordo da afirmação. Na hora do vestibular o estudante não tem muita noção do que é a área acadêmica. Geralmente os vestibulandos de Biologia tem uma grande facilidade nessa matéria durante o Ensino Médio e gostam muito de uma determinada área, como Genética. Somente depois que iniciam o curso é que começam a perceber as oportunidades no campo acadêmico (principalmente nas Universidades Públicas), devido ao ingresso nos programas de Iniciação Científica oferecidos pelos grupos de pesquisa da Universidade. Não posso dizer que seja um fenômeno geral, mas alguns dos meus colegas terminaram a graduação e prestaram vestibular novamente para outras áreas como Medicina Veterinária, Administração e Economia, outros foram dar aula no Ensino Fundamental, Médio e Cursinhos, mas a maioria ficou na área acadêmica, optando por fazer mestrado e depois doutorado, como eu fiz.

4 – Como é exercer a profissão de bióloga? Conte-nos um pouco sobre sua rotina dentro da universidade.
Na área de pesquisa não há uma rotina! Fazer ciência é estar sempre estudando, lendo artigos, testando hipóteses… Nós utilizamos diferentes metodologias para responder perguntas biológicas. No meu caso, já trabalhei com diferentes linhas de pesquisa. No mestrado estudei os fatores de virulência de bactérias causadoras de doenças em humanos e animais e no doutorado estudei o papel de uma proteína na comunicação de células normais e tumorais. Agora estou inserida em um grupo que pesquisa o papel de proteínas que ajudam outras proteínas a manterem uma estrutura normal e podem estar envolvidas com a progressão da Doença de Alzheimer.

5- Neste momento econômico, qual a sua opinião em relação ao mercado de trabalho e as oportunidades para os profissionais da sua área?
O Biólogo é um profissional que vai concorrer nas muitas áreas de atuação com Farmacêuticos, Biomédicos, Químicos, Engenheiro Ambiental entre outros. Na iniciativa privada eu vejo muita dificuldade em arranjar uma colocação, principalmente se você não fez um estágio durante a sua graduação. Na área acadêmica, os concursos públicos para docente aparecem, mas exigem uma formação muito competitiva, com publicações de artigos internacionais e de alto nível. Por isso, muitos Biólogos optam por investir em uma segunda carreira, que ofereça mais oportunidades.

6 – Quais as principais características que você acredita serem necessárias para aqueles que cursam biologia e/ou exercem a profissão?
Primeiramente você precisa gostar do que faz. Curiosidade também é uma característica fundamental. Além disso o Biólogo precisa ser observador, ter uma boa memória e paciência.

7- Gostaríamos que desse dicas, conselhos ou qualquer outro tipo de informação que ajude nossos leitores a decidir seguir (ou não) a sua profissão. Fique a vontade!
Se você é alguém preocupado somente com o dinheiro, cargos de chefia e ter um super emprego, não faça biologia, faça engenharia! Eu sou muito suspeita para falar, porque não me vejo fazendo outro curso ou atuando em outra área, apesar das dificuldades. É importante pensar bem antes de tomar essa decisão e conhecer um pouco sobre o enfoque que a Universidade dá para o curso que você pretende fazer. Eu consegui realizar meu sonho de criança e me tornei uma cientista muito feliz. Meu melhor conselho é seja feliz na sua profissão, seja ela qual for. Boa sorte nesta escolha!


 

Já tomou a sua decisão? Não? Então fique ligado porque na próxima sexta-feira tem mais “Guia de Profissão 2013”, aqui no Portal infoEnem!

 

*A equipe infoEnem agradece a Bióloga Annelize Aragão, que atendeu prontamente nosso pedido e que, certamente, nos ajudou a conhecer mais sobre essa bela profissão. 

Sobre o Autor

InfoEnem
InfoEnem

Portal InfoEnem - O portal mais completo do Enem. 10 anos abordando os principais assuntos do maior vestibular do país. - Artigos; - Notícias; - Apostilas; - Cursos On-line.