Mulher-Maravilha no Enem 2020

Mulher-Maravilha foi lançado em 2017, baseado nos quadrinhos da icônica heroína da DC Comics; o filme, porém, só chegou esse ano no catálogo do serviço de streaming da Netflix – e muitas pessoas decidiram discutir as pautas de Mulher-Maravilha em virtude disso! Separamos aqui algumas temáticas abordadas pelo filme que podem ser utilizadas para a realização de questões em vestibulares ou mesmo elencadas em redações! Mas antes, vamos entender mais sobre a trama do filme.

Mulher-Maravilha nos conta da história de origem da Princesa Diana, como Amazona na Ilha de Themyscira. A localidade, até então habitada e conhecida apenas pelas guerreiras Amazonas e pelos deuses do olimpo, é encontrada por homens – o aviador americano Steve Trevor, piloto das Forças Expedicionárias Americanas, e mais tarde, por tripulantes de um navio do exército nazista alemão. Trevor conta para as Amazonas sobre a guerra que assola o mundo, a Segunda Guerra Mundial, e Diana se oferece para ajudar no combate – afinal de contas, para ela, o responsável por tal mazela é Hades, o deus da guerra, e seu dever como Amazona é mata-lo. Agora que já sabemos mais sobre o enredo do longa, vamos explorar as temáticas abordadas no mesmo.

MITOLOGIA 

A mitologia grega é central no filme e na história da Mulher-Maravilha como um todo. O longa nos apresenta os deuses de olimpo e fala mais sobre a criação das Amazonas. Ainda no período antes de Cristo, as lendas sobre as guerreiras amazonas eram muito comuns da Grécia Antiga – fortes, destemidas, essas mulheres-soldado andavam a cavalo, tinham habilidades de combate e manuseavam armamentos com maestria, além disso, se recusavam a viver com homens em seu território. Mas a lenda não se limita ao território grego. Há indícios de Amazonas sendo vistas em anotações de europeus exploradores no território americano – elas eram descritas por algumas tribos indígenas como Icamiabas (elas são retratadas em uma animação paraense aqui no Brasil, intitulada “Icamiabas na Amazônia”, que tem como referência o desenho animado das “Meninas Superpoderosas”). Incrível, não é?

FEMINISMO E SUFRAGISMO

Nós já conversamos sobre o movimento sufragista aqui no InfoEnem! Para relembrar, acesse esse link. Mas tem muitos outros temas dentro dessa vertente que ainda não discutimos – como, por exemplo, o impacto que o Movimento Sufragista trouxe para a cultura pop. Para entender essa relação, dois nomes são muitos importantes: Emmeline Pankhurst e Margaret Sanger – duas sufragistas com as quais o criador de Mulher-Maravilha teve contato. Em 1911 o autor estudava em Harvard e fazia parte da Liga Masculina de Harvard para o Sufrágio Feminino (em tradução livre) – nesse momento, a sufragista Emmeline Pankhurst fora convidada para uma palestra, mas o ponto é que a universidade não aceitou que uma mulher palestrasse no campus; Pankhurst, então, foi até uma das praças da universidade e lá mesmo disse o que era necessário. Alguns anos depois desse contato, e ainda tendo ligações com Sanger (que era próxima da amante do autor), ele formou os ideais que o levariam a, mais tarde, criar a Mulher-Maravilha.

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

O filme todo se passa durante a Segunda Guerra Mundial, o que é muito significativo – mas alguns detalhes da trama podem ser ressaltados se colocados sob uma analise mais cuidadosa.

Trevor, o par romântico de Diana, é um aviador. Os aviões foram muito usados durante a Segunda Guerra Mundial e são uma peça constante do filme – mas você sabe como os aviões se popularizaram ou mesmo se tornaram mais comuns e desenvolvidos? Uma celebridade chave foi o rosto por trás dessa popularidade e mesmo para a maior utilização militar do Hawaii pelos Estados Unidos durante a guerra: Amelia Earhart. A célebre aviadora se tornou popular após realizar uma viagem dos EUA ao Hawaii sozinha, antes da guerra, quando a tecnologia dos aviões ainda não era tão aprimorada; isso fez com que ela se tornasse uma celebridade, que a presença dos EUA se tornasse maior na região do Hawaii e que os aviões se tornassem um foco de desenvolvimento.

Ainda no universo da Segunda Guerra Mundial, é importante entender a presença feminina na guerra – muitos filmes e livros nos tendem a mostrar que as mulheres foram soldadas, mas a realidade não é bem essa. As mulheres acabavam atuando em trabalhos logísticos, de secretaria, em fabricas de armamentos ou mesmo como mecânicas – mas as americanas nos campos de batalha eram raríssimas, por isso os homens ficam tão assustados com a presença de Diana nas trincheiras, já que geralmente apenas soviéticas realmente pegavam em armas!

Que tal assistir Mulher-Maravilha novamente e dar mais atenção para esses detalhes?

 Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Por quê, Porquê, Porque e Por que: aprenda a diferença entre cada um para não errar no Enem!

A língua portuguesa é de fato muito rica e por isso traz um grande número de possibilidades para algumas palavras e isso, às vezes, pode causar dúvidas aos falantes de seu idioma. Uma dessas dúvidas mais comuns está ligada ao uso dos “porquês”. Na fala não há motivo nenhum para preocupação, mas na hora da escrita em norma padrão quase sempre é feita uma consulta para saber a diferença entre um e outro e não fazer feio no texto.
https://infoenem.com.br/por-que-porque-porque-e-por-que-aprenda-a-diferenca-entre-cada-um-para-nao-errar-no-enem/

O que é SiSU?

É o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior (federais e estaduais) oferecem vagas a candidatos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
https://infoenem.com.br/como-funciona-o-sisu/

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Raphaele Godinho
Raphaele Godinho

Raphaele Godinho: Estudante de Relações Internacionais, coordenação do movimento Resgatando e Valorizando a Mulher, Three Dot Dash Global Teen Leader 2020 by We Are a Family Foundation.