fbpx
Nove expressões e termos em Língua Portuguesa para não confundir no ENEM

Existem algumas palavras e expressões em língua portuguesa que costumam causar confusão quando escritas. Não se trata apenas de desvios ortográficos, confundindo S ou Z, J ou G, por exemplo. São desvios gramaticais que acontecem principalmente por causa da pronúncia semelhante, o que faz com que os estudantes se sintam inseguros ao escrever algumas dessas formas.  

Fonte: http://editoraunesp.com.br/blog/dia-mundial-da-lingua-portuguesa-momento-para-se-aperfeicoar-no-idioma

Em resumo, são palavras e expressões em que duas ou mais formas existem em nosso idioma e são usadas com frequência na oralidade, porém, na escrita elas apresentam formas e significados distintos e devem ser aplicadas cada uma em uma situação diferente. Assim, esse artigo vai tratar dessas diferenças para que você garanta a escrita e compreensão correta delas e possa aplicar esse conhecimento tanto na prova de redação no ENEM, quanto na correta interpretação das questões de Linguagens (e também em outras áreas, claro!).

Expressões e palavras de pronúncia semelhantes

1. “De mais” e “demais”.

De mais: representa “a mais”, o contrário “de menos”.

Ex. Não aconteceu nada de mais, apenas chegamos atrasados.

Demais: Trata-se um advérbio que intensifica a ação verbal.

Ex. Chegamos tarde demais, a reunião já estava acabando.

2. “A fim de” e “afim”.

A fim de: Indica a ideia de finalidade ou disposição para se fazer algo.

Ex. Os alunos estudam a fim de aprender a matéria.  / Não estavam a fim de estudar naquela tarde.

Afim: Significa “o que tem afinidade, que é afinado”.  Geralmente, é usada no plural.

Ex. A cada dia juntos, descobríamos mais interesses afins. 

3. “De encontro a” e “ao encontro de”.

De encontro a: Indica a oposição entre duas ideias ou fatos.

Ex. Não vai dar certo, a proposta da diretoria vai de encontro a organização das atividades.

Ao encontro de: Indica associação de ideias, acréscimo.

Ex. Funcionará perfeitamente, a proposta da diretoria vai ao encontro da organização das atividades.

4. “Senão” e “se não”.

Senão: É o mesmo que “do contrário”.

Ex. É importante ler romances, senão a interpretação textual pode ser prejudicada.

Se não: É a expressão formada pela partícula condicional “se” e o pronome negativo “não”.

Ex. Se não forem feitas as reformas, a estrutura ficará vulnerável.

5. “Há cerca de”, “a cerca de” e “acerca de”

Há cerca de: Indica o tempo que já foi transcorrido.

Ex. Estamos casados há cerca de 3 meses.

A cerca de: É o mesmo que “aproximadamente”.

Ex. A padaria fica a cerca de 200 metros da praia.

Acerca de: Significa “sobre”, “a respeito de”.

Ex. A conversa de hoje será acerca das novas orientações.

6. “Ao invés de” e “em vez de”

Ao invés de: denota o sentido do que é oposto, contrário (“invés” vem de “inverso”).

Ex. Ao invés de correr, ficou parado.

Em vez de: Indica uma substituição, que pode ou não ser uma oposição.

Ex. Em vez de fazer exercícios de matemática, fez de química.

7. “Mau” e “mal”.

Mau: É o mesmo que “ruim” ou “imperfeito”. Pode ser usado como substantivo ou adjetivo (é o contrário de “bom”). Aceita variações para o gênero feminino (má) e suas respectivas formas do plural (más/maus).

Ex. O homem mau corrompe a sociedade. / As más companhias podem te levar para a decadência.

Mal: Usado como advérbio, significa “de modo imperfeito ou irregular”, não há variação (não há forma plural ou gênero feminino). É o contrário de “bem”. Existe a possibilidade de ser usado como um substantivo, nesse caso é aceita a forma plural “males”.

Ex. Eles agiram mal, não deveriam ter ido sem permissão. / De todos os males que me aconteceram, um apenas me derrubou.

Dica: Sempre que surgir a dúvida, escreva mau (com U) somente quando for possível trocar pela palavra “bom” e mal (com L), apenas quando puder ser trocada pela palavra “bem”.

8. “Mas” e “mais”.

Mas: Indica adversidade, pode ser substituído nas expressões por porém, entretanto, todavia, etc.

Ex. Saiu, mas não levou a carteira.

Mais: Indica adição.

Ex. A cada dia mais pessoas estão preocupadas com a saúde pública.

9. “Agente” e “a gente”.

Agente: o sujeito que agencia, atua ou opera.

Ex. O agente da secretaria arquivou os documentos.

A gente: É equivalente ao pronome pessoal “nós” e usada principalmente em contextos coloquiais.

Ex. A gente está cansado de não ver mudanças.

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Adriana da Silva Moreira
Adriana da Silva Moreira

Adriana da Silva Moreira: Mestranda do programa de Letras Clássicas da Universidade São Paulo. Possui graduação em Letras, com habilitação em Português e Grego pela USP (2016). Concluiu duas Iniciações Científicas na área de Historiografia Grega (2013) e (2016) sob orientação do Prof. Dr. Breno Battistin Sebastiani. Tem interesse na área de Língua e Literatura Grega, com ênfase em Historiografia Grega.