Sobre a Redação da Unesp

As provas das primeiras fases dos vestibulares das universidades estaduais de São Paulo foram encerradas no último domingo, dia 26 de novembro, com a primeira fase da Universidade de São Paulo (USP). Antes dela, a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aplicaram suas primeiras fases. Deste modo, os candidatos estão ansiosos para saber se passaram para a segunda fase, na qual terão de fazer a prova de redação.

Por isso, nas próximas semanas, escreveremos nesta coluna textos sobre as provas de produção textual dos três vestibulares das universidades paulistas: USP, Unicamp e Unesp, começando por esta última, pois ela será a primeira a aplicar sua segunda fase nos dias 17 e 18 de dezembro próximos.

No vestibular da Unesp, a prova de redação sempre ocorre no segundo dia de aplicação e é de realização obrigatória para todos os candidatos, independentemente do curso pretendido, e ela vale 28 dos 100 pontos totais das provas da segunda fase. Além disso, o gênero exigido é a dissertação, o mais comum entre os vestibulares.

Neste aspecto é importante salientar que, no enunciado, a banca elaboradora do vestibular da Unesp costuma apenas escrever “texto dissertativo” e não “texto dissertativo-argumentativo” ou “dissertação-argumentativa”. Sabemos que há uma diferença entre os dois gêneros e isso pode gerar dúvidas nos candidatos, já que, em uma dissertação, o autor apenas disserta e em uma dissertação-argumentativa o autor deve dissertar e opinar, fundamentando sua opinião em argumentos e estratégias argumentativas.

Em relação aos temas, a Unesp é uma verdadeira caixinha de surpresas, pois já abordou temas de viés social (como o Enem, mas sem exigir a proposta de intervenção social), mas também apresentou temas de viés “filosófico”. Abaixo, os últimos temas abordados nos vestibulares da Unesp (meio e fim de ano):

  • 2008 (meio de ano): “Há exagero na relação entre humanos e animais de estimação?”
  • 2009: “O homem: inimigo do planeta?”
  • 2009 (meio de ano): “A tecnologia e a invasão da privacidade”
  • 2010: “A Felicidade, entre o ter e o ser”
  • 2010 (meio de ano): “Os valores morais e sua importância na sociedade”
  • 2011: “Grafites: entre o vandalismo e a arte”
  • 2011 (meio de ano): “O futuro do livro”
  • 2012: “A bajulação: virtude ou defeito? “
  • 2012 (meio de ano): “A questão das queimadas no Brasil”
  • 2013: “Escrever: o trabalho e a inspiração”
  • 2013 (meio de ano): “Curso universitário em outra cidade: motivações e desafios.
  • 2014: “Corrupção no Congresso nacional: reflexo da sociedade brasileira?”
  • 2014 (meio de ano): “A tolerância da sociedade brasileira à violência sexual contra mulheres”
  • 2015: “O legado da escravidão e o preconceito contra os negros no Brasil”
  • 2015 (meio de ano): “A redução da maioridade penal contribuirá para a diminuição da criminalidade no Brasil?”
  • 2016: “Publicação de imagens trágicas: banalização do sofrimento ou forma de sensibilização?”
  • 2017: “A riqueza de poucos beneficia a sociedade inteira?”

 

Uma outra característica da prova de redação da Unesp é que, além da coletânea de textos, a proposta de produção textual utiliza enunciados das questões dissertativas como parte da coletânea de textos e, por esse motivo, costuma ser uma proposta de redação com muito texto para o candidato ler, analisar e interpretar.

A leitura da coletânea e da proposta é o ponto de partida para a elaboração do projeto de texto, pois a coletânea, nas provas de redação da Vunesp, exerce uma função especificadora do tema. Isso significa que o candidato deverá se posicionar frente à proposta levando em conta os elementos da coletânea, demonstrando compreensão das ligações de sentido existentes entre o tema e a coletânea e, deste modo, demonstrando domínio do conjunto total da proposta (textos de apoio, tema e comando com especificação da tarefa a ser realizada).

 


*CAMILA DALLA POZZA PEREIRA é graduada e mestranda em Letras/Português pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente trabalha na área da Educação exercendo funções relacionadas ao ensino de Língua Portuguesa, Literatura e Redação. Foi corretora de redação em importantes universidades públicas. Além disso, também participou de avaliações e produções de vários materiais didáticos, inclusive prestando serviço ao Ministério da Educação (MEC).

**Camila é colunista semanal sobre redação do nosso portal. Seus textos são publicados todas as quintas!

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Fernando Buglia
Fernando Buglia

Físico formado pela Unicamp, professor de cursinho pré-vestibular e um dos proprietários do portal infoEnem.