O Dogma Central da Genética e o RNA

Em nosso primeiro artigo sobre genética explicamos sobre os conceitos básicos para o entendimento desta área de conhecimento. Agora que já sabemos como o DNA se replica, podemos enunciar o dogma central da genética: o DNA, através de sua replicação, transmite características hereditárias e, a partir dos processos de transcrição e tradução, produz as proteínas responsáveis por estas características. Antes de explicarmos com maiores detalhes cada um desses processos, devemos detalhar o que é o RNA.

dogma_central 

O RNA, tal qual o DNA, é um polinucleotídeo, porém ele é formado por uma molécula de açúcar (pentose) denominada ribose e há a substituição da base pirimídica timina (T) – presente no DNA – pela uracila (U). A estrutura tridimensional do RNA também difere daquela relativa ao DNA, pois não ocorre a estrutura de dupla hélice, mas sim uma cadeia única de nucleotídeos sem paridade entre bases púricas e pirimídicas.

Diferentemente do DNA, existem três tipos específicos de RNA, cada qual desempenhando um papel no processo de síntese de proteínas: o RNA ribossômico (RNAr) está presente nos ribossomos, estruturas celulares responsáveis pela síntese de proteínas; o RNA mensageiro (RNAm) é responsável por codificar a sequência de aminoácidos das proteínas sintetizadas nos ribossomos; o RNA transportador (RNAt) tem por função combinar-se com aminoácidos disponíveis no hialoplasma e transportá-los para os ribossomos, servindo como “fornecedor” de matéria-prima para a síntese de proteínas.

Agora que sabemos mais sobre o RNA, podemos estudar o processo de transcrição, responsável por sintetizar todos os tipos de RNA a partir do DNA. Ocorrendo no núcleo na célula, estre processo inicia-se na presença de uma enzima, a RNA polimerase, responsável por “romper” as ligações de hidrogênio que ligam as duas cadeias na estrutura do DNA. Uma das hélices do DNA serve de molde e há a formação de uma cadeia complementar com os nucleotídeos do RNA. Após totalmente formada, esta cadeia de RNA se destaca e a molécula de DNA retorna a sua estrutura de dupla hélice. Os diferentes tipos de RNA formados por este processo migram do núcleo para o citoplasma, onde desempenharão suas funções.

RNA2

Para finalizar esse artigo, lembramos que é importante para seus estudos entender e estabelecer as diferenças entre o DNA e o RNA. Procure sintetizar o que foi visto até agora em uma tabela, correlacionando características estruturais de cada molécula e suas funções. Em nosso próximo artigo iremos estabelecer como ocorre a síntese de proteínas a partir do RNA e do processo de tradução.

Até lá!

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Andrietta
Matheus Andrietta

Fundador do Portal InfoEnem.