Os Movimentos Imigratórios em Perspectiva no Enem

Os movimentos imigratórios sempre tiveram destaque no Enem. Prova disso foi a proposta de redação em 2012, cujo tema foi “O Movimento Imigratório para o Brasil no Século XXI”. Na atualidade, vivemos um momento de intensa discussão sobre este assunto no cenário internacional, pois a Europa já atraiu, até o terceiro trimestre deste ano, mais do que dobro de imigrantes do que no mesmo período do ano passado. A maioria destes é oriunda de países pobres do Oriente Médio e África, e chegam por vias marítimas ou fronteiras não vigiadas com países vizinhos.

Dada esta temática e sua recorrência nas provas anteriores, indicamos a você, caro estudante, a leitura do artigo Os desafios da imigração na Europa. Além disso, trazemos uma questão resolvida do Enem 2014, a qual abrange conhecimentos de geopolítica relacionados ao fluxo migratório.

Enem 2014 – Caderno Amarelo – Questão 45

O jovem espanhol Daniel se sente perdido. Seu diploma de desenhista industrial e seu alto conhecimento de inglês devem ajudá-lo a tomar um rumo. Mas a taxa de desemprego, que supera 52% entre os que têm menos de 25 anos, o desnorteia. Ele está convencido de que seu futuro profissional não está na Espanha, como o de, pelo menos, 120 mil conterrâneos que emigraram nos últimos dois anos. O irmão dele, que é engenheiro-agrônomo, conseguiu emprego no Chile. Atualmente, Daniel participa de uma “oficina de procura de emprego” em países como Brasil, Alemanha e China. A oficina é oferecida por uma universidade espanhola.

GUILAYN, P. Na Espanha, universidade ensina a emigrar. O Globo, 17 fev. 2013 (adaptado).

A situação ilustra uma crise econômica que implica

a) valorização do trabalho fabril.
b) expansão dos recursos tecnológicos.
c) exportação de mão de obra qualificada.
d) diversificação dos mercados produtivos.
e) intensificação dos intercâmbios estudantis.

RESOLUÇÃO E COMENTÁRIOS

Alternativa C

Atualizadíssimo o tema desta questão. Trata-se de uma inovadora pergunta que retrata o cenário macroeconômico dos últimos anos e aborda também o comportamento dos fluxos migratórios frente à crise econômica que se instala principalmente nas economias tradicionais e desenvolvidas desde 2011.

Conforme foi destacado, essa questão é inédita, tanto pelo teor do excerto utilizado quanto pela resposta correta (letra C, “exportação de mão de obra qualificada”). Geograficamente é muito rica a análise possível de se desenvolver, pois, apesar das Ciências Humanas e suas Tecnologias serem o eixo norteador dos temas do ENEM, essa é uma questão essencialmente geográfica, pois está ocorrendo neste momento. É um fato vivo, cotidiano, real.

As economias mundiais estão em crise desde 2011 em razão da lógica especulativa do mercado. Essa é a natureza da fase capitalista atual (informacional) e ciclos econômicos conjunturais como esse fazem parte de seu funcionamento. Iniciada nos Estados Unidos da América no setor imobiliário, a “quebradeira” com a desvalorização de moeda e papéis (ações) irradiou principalmente nos países da União Europeia em razão de serem os principais parceiros econômicos dos EUA. Esse reflexo arrasou a economia de países como Espanha e Grécia.

O que acontece é que, tratando de países da “Europa desenvolvida”, que é a porção ocidental, a população tem uma qualidade de vida medida pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) através do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) muito alto principalmente em razão dos anos de escolaridade e baixo analfabetismo, ou seja, os europeus desta região estudam muito anos e, consequentemente, são mão de obra qualificada. Acontece que, apesar dos ótimos currículos, simplesmente não existem cargos disponíveis para absorver os trabalhadores em razão da crise, o que faz ampliar exponencialmente o desemprego (nesse caso, o desemprego conjuntural, pois se trata de uma crise econômica, algo cíclico, e não permanente). É observável que tais trabalhadores têm procurado e até imigrado para países de economias dinâmicas e emergentes, que usualmente são repulsivas para os imigrantes, pois ao longo da história apresentaram péssimos indicadores econômicos. Este é o caso do texto. Soma-se ainda a este fato a aposta de que fizeram as economias emergentes em parcerias entre si, como é o caso dos BRICS, e também a facilidade da língua, pois muitos portugueses estão vindo para o Brasil (o que facilita a barreira linguística) e espanhóis indo para ex-colônias de seu país de origem, como México e América Andina.

A questão acima foi detalhada e comentada pelo professor Bruno Picchi, graduado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Rio Claro, com ampla experiência em docência em Ensino Médio e em cursos preparatórios, além de atuar na elaboração de provas de vestibulares e concursos públicos.

Se você gostou da contextualização e comentários feitos para complementar o entendimento desta questão, Clique aqui e conheça agora as nossas Apostilas Enem 2015, as quais abrangem as questão das últimas 6 edições do exame, todas resolvidas e comentadas com esta mesma qualidade!

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Matheus Andrietta
Matheus Andrietta

Fundador do Portal InfoEnem.