A organização das palavras na frase: Sintaxe na Redação do ENEM

A sintaxe é o conjunto das relações de combinação entre as palavras e entre as orações de um enunciado. Na disciplina de Língua Portuguesa, o estudo dessas relações faz parte da gramática.

A seleção e a organização das palavras são processos muito simples, que os falantes de língua portuguesa aprendem desde muito cedo. Porém, para a escrita de uma redação dissertativa, modelo requisitado no ENEM, que precisa ser clara e objetiva, a combinação de palavras deve ser mais exigente.

Para finalidade didática, costuma-se dividir a sintaxe em 4 partes: Análise sintática, Sintaxe de concordância, Sintaxe de regência e Sintaxe de colocação. Esse artigo vai explicitar os conceitos iniciais da Análise sintática, uma vez que esse conteúdo ajuda a compreender melhor a estruturação dos enunciados em língua portuguesa e ajuda também na escrita e leitura eficiente de um texto.

Os primeiros conceitos a serem aprendidos são:

Frase: é toda unidade linguística (falada ou escrita) pela qual uma ideia é transmitida, ou seja, qualquer enunciado que faça sentido é considerado uma frase.

Exemplo: A.  Bom dia!

B. João saiu cedo hoje.

Oração: é a frase (ou parte dela) que se constrói em torno de um verbo ou de uma locução verbal (junção de dois ou mais verbos que exercem a função morfológica de apenas um verbo). O verbo é o núcleo de uma oração.

Exemplo: João dirige até o trabalho.

Período: é a frase formada por uma ou mais orações. Os períodos podem ser simples (formado por apenas uma oração) ou compostos (formado por mais de uma oração).

Exemplos: A. João saiu cedo. (período simples).

B. João saiu cedo e dirigiu até o trabalho. (período composto por duas orações).

A partir desses 3 conceitos, é importante compreender a lógica existente nos enunciados. Essa lógica é o objeto da Sintaxe. Veja o enunciado a seguir:

Ex. Bicicleta mãe João da amarela uma ganhou.

Os falantes de língua portuguesa reconhecem cada uma das palavras do exemplo anterior, no entanto, pela organização delas, não há sentido possível de se compreender. A ordem dessas palavras deve ser:

A. João ganhou uma bicicleta amarela da mãe.

O enunciado está organizado em ordem direta. Essa organização garante uma compreensão muito mais clara dos enunciados, pois permite que a mensagem seja objetiva, como uma redação dissertativa deve ser.

SUJEITO ˃ VERBO ˃ COMPLEMENTOS

A ordem direta também orienta a usar a vírgula corretamente, pois quando uma oração está organizada em ordem direta, não deve apresentar vírgula.

O exemplo anterior é de apenas uma oração, para a escrita de uma redação no ENEM, essa organização deve ser aplicada aos períodos dentro de cada parágrafo da redação. Desta forma, o leitor (que no caso do ENEM é o examinador) poderá compreender melhor suas ideias e argumentos, sem deixar margem para desvios de interpretação ou ambiguidades no seu texto.

Veja a seguir um exemplo de organização em ordem direta em um trecho de redação nota mil de 2018, o tema foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

“O advento da internet possibilitou um avanço das formas de comunicação e permitiu um maior acesso à informação. No entanto, a venda de dados particulares de usuários se mostra um grande problema. Apesar dos esforços para coibir essa prática, o combate à manipulação de usuários por meio de controle de dados representa um enorme desafio. Pode-se dizer, então, que a negligência por parte do governo e a forte mentalidade individualista dos empresários são os principais responsáveis pelo quadro”. – Redação de MATHEUS MARTINS WENGENROTH CARDOSO, 2018.  

Fonte: http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/40141-redacao-nota-mil

O texto se organiza de maneira que os sujeitos são colocados antes dos verbos e logo depois dos verbos estão os complementos.

Além da ordem direta, a língua portuguesa aceita também o que é conhecido como ordem inversa. Ela ocorre quando o sujeito é deslocado para outra posição do enunciado, o que acontece, geralmente, em músicas, textos de humor, textos literários, como poemas, contos ou romances, a depender da ênfase ou efeito que o autor queira dar ao texto.

 Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Por quê, Porquê, Porque e Por que: aprenda a diferença entre cada um para não errar no Enem!

A língua portuguesa é de fato muito rica e por isso traz um grande número de possibilidades para algumas palavras e isso, às vezes, pode causar dúvidas aos falantes de seu idioma. Uma dessas dúvidas mais comuns está ligada ao uso dos “porquês”. Na fala não há motivo nenhum para preocupação, mas na hora da escrita em norma padrão quase sempre é feita uma consulta para saber a diferença entre um e outro e não fazer feio no texto.
https://infoenem.com.br/por-que-porque-porque-e-por-que-aprenda-a-diferenca-entre-cada-um-para-nao-errar-no-enem/

O que é SiSU?

É o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior (federais e estaduais) oferecem vagas a candidatos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
https://infoenem.com.br/como-funciona-o-sisu/

Manual do SISU e PROUNI

Manual do SISU e PROUNI

Receba gratuitamente

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Adriana da Silva Moreira
Adriana da Silva Moreira

Adriana da Silva Moreira: Mestranda do programa de Letras Clássicas da Universidade São Paulo. Possui graduação em Letras, com habilitação em Português e Grego pela USP (2016). Concluiu duas Iniciações Científicas na área de Historiografia Grega (2013) e (2016) sob orientação do Prof. Dr. Breno Battistin Sebastiani. Tem interesse na área de Língua e Literatura Grega, com ênfase em Historiografia Grega.