Possibilidades para a Redação do Enem 2020: Saúde Mental

Chegamos à reta final da preparação para o Enem 2020! Espero que todos tenham, na medida do possível neste ano passado maluco, estudado com dedicação e afinco! Lembrem-se de não se matarem de revisar nesta semana que antecede a prova (só “retoques finais”), deixar um tempinho no sábado pra relaxar (nada de balada, óbvio, por conta da aglomeração que não é nada legal no meio de uma pandemia e para não correr o risco de dormir pouco, ficar cansado durante o teste ou até mesmo perder a hora, já que não quero ver nenhum leitor desta coluna virando meme dos atrasados do Enem, hein?

Tirar o sábado para relaxar é um importante passo na preparação para o Enem, já que auxilia no cuidado da saúde mental, algo importantíssimo para se ter em dia em situações como essa e, em 2020 especificamente, para se ter em conta como possível tema da redação. O assunto foi bastante tratado ao longo de todo o ano na mídia e em conversas do dia a dia, já que com uma pandemia e o isolamento social a ansiedade e outras questões psicológicas intensificaram-se e até mesmo desenvolveram-se para alguns.

Em primeiro lugar, é interessante conhecer pelo menos as questões mais famosas e mais frequentes na realidade brasileira, já que a redação pode exigir uma produção sobre a saúde mental como um todo ou tratar de itens mais específicos. Conferir em sites ou livros especializados as definições de doenças como depressão, ansiedade e estresse, por exemplo, pode ser um bom começo. Os índices de cada uma delas (e as fontes, claro) também são itens a se levar na memória, bem como exemplos de como cada uma dessas doenças pode afetar a vida de alguém.

Para a construção da argumentação, deve-se fugir do senso comum que infelizmente roda por aí. Afirmar que tais enfermidades, bastante debilitantes em alguns casos, são “frescura”, “falta do que fazer” ou que a pessoa deve “ter força de vontade para sair da situação” demonstra insensibilidade e completa falta de conhecimento, já que essas afirmações raramente são ditas para pessoas com uma pneumonia, por exemplo, que também é uma doença. Sendo assim, esse tipo de “teoria” provavelmente não ajudará muito e nem se sustentará bem ao longo do desenvolvimento. É necessário estabelecer com clareza todos os prejuízos para os indivíduos e para a sociedade como um todo, como o impedimento que alguns níveis desses distúrbios podem causar em algumas, se não em todas as áreas da vida de uma pessoa, e até mesmo as implicações econômicas para as empresas que precisam afastar seus funcionários.

Por fim, a clássica proposta de intervenção torna-se bastante importante em um ano como 2020 (viram como a preparação de cidadãos é objetivo fundamental da formação escolar?). Já existem programas públicos de ajuda àqueles que precisam de atendimento relacionado à saúde mental, até mesmo no SUS. Sugestões de expansão, mais verbas e/ou a criação de novos programas para acompanhar os existentes, além de campanhas que popularizem as informações sobre eles podem ser boas opções para a conclusão. Também é possível sugerir que nas escolas a saúde mental seja desmistificada, ensinada e monitorada. Basta escolher uma ou algumas dessas opções, desde que bem relacionadas à argumentação e detalhá-las muito bem, como sempre.

O que acharam da possibilidade de tema desta semana? É mais ou menos provável que ele apareça no Enem 2020 em relação a outros? Já produziram alguma redação sobre a saúde mental? Acharam difícil falar sobre isso? Contem tudo pra gente nos comentários e até semana que vem!

Além das postagens sobre os temas de redação toda semana, você pode se preparar ainda mais para a prova de redação do Enem com o curso de redação Nota 1000 do portal InfoEnem! Você fará redações que serão corrigidas no mesmo modelo do Enem, e receberá comentários e dicas da nossa equipe! Clique aqui para saber mais sobre o curso de redação!

Acesse o portal InfoEnem e tenha acesso aos melhores conteúdos e informações sobre o Enem 2020!

Por quê, Porquê, Porque e Por que: aprenda a diferença entre cada um para não errar no Enem!

A língua portuguesa é de fato muito rica e por isso traz um grande número de possibilidades para algumas palavras e isso, às vezes, pode causar dúvidas aos falantes de seu idioma. Uma dessas dúvidas mais comuns está ligada ao uso dos “porquês”. Na fala não há motivo nenhum para preocupação, mas na hora da escrita em norma padrão quase sempre é feita uma consulta para saber a diferença entre um e outro e não fazer feio no texto.
https://infoenem.com.br/por-que-porque-porque-e-por-que-aprenda-a-diferenca-entre-cada-um-para-nao-errar-no-enem/

O que é SiSU?

É o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior (federais e estaduais) oferecem vagas a candidatos participantes do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).
https://infoenem.com.br/como-funciona-o-sisu/

Sobre o Autor

Vanessa Christine Ramos Reck
Vanessa Christine Ramos Reck

Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Estadual de Campinas(2011). Tem experiência na área de Letras. http://lattes.cnpq.br/6444202678156917